Versão para impressãoEnviar por E-mail

Atlas do Abandono e do Insucesso Escolar em Portugal

É apresentado hoje em Lisboa, o "Atlas do Abandono e do Insucesso Escolar em Portugal".

Este atlas faz o retrato da evolução do ensino em Portugal desde 1991 até 2011.

No período de 20 anos (desde 1991 até 2011) o abandono escolar precoce, antes de acabar o 12º ano, caiu para perto de um terço”.

Esta foi uma das principais conclusões de um estudo divulgado hoje, que foi encomendado pela EPIS – Empresários pela Inclusão Social, ao Centro de Estudos de Sociologia da Universidade Nova de Lisboa. O trabalho teve a coordenação do antigo Ministro da Educação, David Justino, que realça que entre 1991 e 2011 “os avanços foram muito grandes”.

No ano de 1991 o abandono escolar precoce, antes de acabar o 12º ano, representava 63 por cento dos jovens. Neste momento ronda os 20 por cento.

Este avanço foi muito visível no litoral do continente, onde o abandono escolar teve uma redução substancial.

As zonas de maior risco de abandono escolar estão agora no interior.  O coordenador do estudo David Justino reconhece que a escolarização dos portugueses continua ainda abaixo das médias internacionais. Existem problemas, contudo o anterior ministro salienta que é necessário reconhecer a enorme evolução verificada neste período de 20 anos.